Serviços
Escola de Química da UFRJ
Serviços WebMail Área Restrita

Extensão

Projetos e Eventos
Ligas e Fóruns
Ligas da EQ
EQ Hands-On
Fórum Ambiental da UFRJ

Ligas da Escola de Química

EQ Hands-On

Coordenação: Profa. Dra. Andrea Valdman

A EQ Hands-On é uma organização que surgiu a partir da iniciativa de alunos e professores da Escola de Química/UFRJ. ​Criada em 2015 com o intuito de revitalizar a área industrial da Escola a partir da reforma de equipamentos, há muito tempo parados, hoje a organização conta com mais de 6 projetos concluídos e mais de 30 pessoas envolvidas, entre alunos, professores e técnicos.

Visão

Alcançar excelência no desenvolvimento de projetos e ser referência na UFRJ.

Valores

Mão na massa, Engajamento, Proatividade, Simplicidade, Paixão por desafios, Espírito de equipe.

Fórum Ambiental da UFRJ

Em 2019, foi instalado o Fórum Ambiental (Portaria N° 1174, de 12 de fevereiro de 2019) como espaço regular de discussão, elaboração e suporte ao desenvolvimento e implementação de política institucional de Gestão Ambiental.

O fórum consiste, além do comitê gestor, em seis câmaras temáticas. São estas:

  1. a Câmara de Recursos Ambientais;
  2. a Câmara de Resíduos;
  3. a Câmara de Comunicação e Mobilização Socioambiental;
  4. a Câmara de Educação Socioambiental;
  5. a Câmara de Qualidade de Vida no Ambiente Universitário e
  6. a Câmara de Legislação e Normas.

As Câmaras Temáticas são grupos de participantes regulares reunidos para analisar, propor técnicas, métodos, ferramentas e quaisquer outros dispositivos que contribuam para a melhoria das condições de sustentabilidade da UFRJ, considerando assuntos ou áreas específicas inseridas na Questão Ambiental eleita como Tema de cada Grupo.

Contato: cg.forumambientalufrj@reitoria.ufrj.br

Empresas Júnior
Empresas Júnior da EQ
Empresas Júnior da Poli

Empresas Júnior da Escola de Química

Empresas Júnior da Escola Politécnica

Tutoriais de Registro de Inscrições
Resoluções

Catalisando a Economia Circular

Coordenação: Profa. Dra. Suzana Borschiver

Este projeto dissemina o conceito de Economia Circular por meio da plataforma digital/blog (http://neitec.com/blog) pertencente ao Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos (NEITEC) da Escola de Química da UFRJ sob coordenação da Profa. Dra. Suzana Borschiver.

A Economia Circular trata de um modelo holístico de sustentabilidade que busca principalmente manter o ciclo de vida útil dos materiais, produtos e seus componentes em sua maior utilidade e valor, eliminando ou minimizando o uso de compostos tóxicos e transformando os resíduos em novos recursos.

O blog, existente desde dezembro de 2017, foi formatado pela equipe do NEITEC para discutir questões relacionadas a Economia Circular. Nesse sentido, se insere como projeto de extensão, viabilizando ao corpo social (professores, alunos e funcionários) da Escola de Química a possibilidade de trabalharem o conceito de Economia Circular. Para isso, o projeto contempla a elaboração de artigos no blog, sugestões, discussões, críticas e organização de workshops e seminários. Os temas abordados em relação à Economia Circular serão sempre correlacionados à Indústria Química e aos seus setores tanto a montante quanto a jusante. Objetiva-se, também, desmistificar e colaborar com a implantação efetiva desse conceito no país, além de sensibilizar e capacitar todos os envolvidos.

Desdobramentos do projeto

Livro de Economia Circular. O livro de Economia Circular está sendo construído baseado nos artigos elaborados pelos integrantes do projeto de extensão e publicados no blog do NEITEC. O conteúdo aborda os conceitos, princípios e os modelos de negócios relacionados ao tema, bem como cases contendo iniciativas já em prática por alguns setores da economia. O livro foca em três modelos de negócios da Economia Circular trabalhados pelo grupo: Logística Reversa, Simbiose Industrial e Chemical Leasing. Como forma de entender o impacto da aplicação das práticas circulares nos setores econômicos, os integrantes trabalharam os efeitos sobre os setores da Biotecnologia, Energia, Moda, Indústria Química e Indústria do Aço. Assim, o livro destina-se a divulgar ao grande público a importância deste modelo de produção para alavancar a competividade econômica do país e incentivar a ampliação das práticas circulares.

Workshop de Economia Circular. O Workshop de Economia Circular foi realizado dia 03 de outubro de 2019 no Polo de Biotecnologia da UFRJ, onde foram apresentados os conceitos, princípios e os modelos de negócios relacionados ao tema e aprofundados os conceitos de Simbiose Industrial, Chemical Leasing e Logística Reversa. O workshop contou com contribuições da professora Suzana Borschiver, das alunas de doutorado Aline Tavares e Fernanda Cardoso e pela integrante externa à UFRJ Renata Bandarra. Ainda foram apresentadas as iniciativas do Instituto SENAI de Inovação por DSc. Victoria Santos e cases de empresas situadas no Parque Tecnológico da UFRJ, sendo elas a Toco Engenharia e Inovação Ambiental Ltda, representada por Cláudio Bastos, a Pólen, representada por Renato Paquet, e Mancha Orgânica, representada por Amosn Costa.

×

Canal para informações sobre indústrias e processamento de alimentos

Coordenação: Prof. Dr. Lauro Luís Martins Medeiros de Melo

O projeto visa ao melhor esclarecimento da população em geral e, mais especificamente de alunos do ensino fundamental 2, sobre práticas aplicadas pelas indústrias de alimentos e características técnicas de seus produtos processados. Com a internet, a difusão de conhecimento e opiniões se tornou mais fácil e democrática. Todavia, nem sempre os textos disponíveis na internet trazem informações tecnicamente corretas e, mesmo assim, podem encontrar grande poder de influência sobre a população, sendo esta influência ainda mais forte entre os mais jovens, incluindo crianças e adolescentes, que têm grande facilidade de interação com a internet.

O desafio é que grande parte da população não tem conhecimento técnico para identificar textos sem fundamento científico, o que traz prejuízos para cidadãos, consumidores, profissionais da área de Ciência e Tecnologia de Alimentos e indústrias. Assim, este projeto buscará textos que apresentem informações técnicas incorretas sobre o processamento de alimentos e serão produzidos "textos-resposta" que serão divulgados em um blog, esclarecendo e corrigindo informações.

Estes textos-resposta serão curtos e de linguagem acessível ao público não especializado, permitindo às pessoas rejeitar ou confirmar "mitos" atualmente difundidos na rede. A produção destes textos-resposta com linguagem não técnica permitirá a disseminação dos conceitos entre alunos de uma escola municipal, difundindo o produto da pesquisa bibliográfica feita pelos estudantes de Engenharia de Alimentos para uma parte da população que ainda não atingiu a Universidade, através de aulas, palestras e atividades interativas, acerca de um assunto que faz parte do cotidiano de todos: indústrias, processamento e características dos alimentos.

×

Tecnologia social para beneficiamento do pescado

Coordenação: Profa. Dra. Ana Lúcia Vendramini

O projeto "Tecnologia Social para o Beneficiamento de Pescado" vem sendo desenvolvido desde 2007 pelo Núcleo de Pesquisa em Ciência e Tecnologia de Alimentos - NPCTA, localizado no Laboratório de Tecnologia de Alimentos da Escola de Química da UFRJ (https://sites.google.com/site/ufrjnpcta/). Suas atividades iniciaram junto as comunidades de pescadores do litoral fluminense, com o apoio do SOLTEC (Núcleo de Solidariedade Técnica CT UFRJ) em parceria com a Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro - FIPERJ, com o apoio financeiro do Ministério da Pesca e Aquicultura MPA, Fundação Universitária José Bonifácio (FUJB/UFRJ) e Programas de Extensão da UFRJ.

Locais de atuação

Incluem desde o município de São João da Barra, passando por Macaé, Cabo Frio e Búzios, até a região metropolitana (Niterói, Mangaratiba e Baia de Sepetiba) e a região da Costa Verde (Ilha Grande, Paraty e Angra dos Reis). Nestes locais foram realizados diversos encontros, oficinas, palestras, cursos de extensão e eventos, promovendo a interdisciplinaridade e a junção entre as comunidades pesqueiras, grupos sociais, escolas de nível médio (curso politécnico) e a comunidade acadêmica universitária, culminando no desenvolvimento de produtos, avaliação e inovação de processos, publicações técnicas, científicas e artísticas, reconhecidas através dos prêmios e menções honrosas recebidas.

Objetivo

O projeto visa contribuir com as Políticas Públicas para a Gestão Compartilhada dos Recursos Pesqueiros e Aquícolas. A Baía da Ilha Grande (BIG) e a região da Costa do Sol são consideradas ecossistemas de alta prioridade para a conservação da biodiversidade. Além disto, nestas regiões existem vários grupos de populações tradicionais (caiçaras, pescadores, indígenas e quilombolas) cujas identidades culturais têm passado por processos de transformação e que contam com apoio de projetos do governo.

Importância

A denominação genérica "PESCADO" compreende os peixes, crustáceos, moluscos, anfíbios, quelônios (tartarugas), mamíferos de água doce ou salgada e algas, usados na alimentação humana (FAO), no entanto, o projeto desenvolve trabalhos especialmente com peixes, crustáceos, moluscos e algas marinhas (macroalgas e microalgas).

Apesar da versatilidade do pescado e do amplo uso da macroalga, as comunidades desconhecem os sistemas de qualidades exigidos no setor de alimentos e as técnicas de beneficiamento, portanto, poucos processam estas matérias-primas, não viabilizando o uso na merenda escolar e na agricultura local. Para tanto, é importante ampliar o conhecimento existente e documentá-lo. Informação, conhecimento, criatividade e inovação são ingredientes básicos para todas as organizações, mas estes devem ser adequadamente mapeados e compartilhados com os diferentes grupos, respeitando a cultura local, portanto aplicados na busca por um modelo diferenciado de desenvolvimento, de economia, de inclusão social e melhoria da qualidade de vida das populações locais, além da valorização do patrimônio cultural desses grupos. Grande parte do pescado desembarcado na região é comercializado assim que chega à areia, pelos próprios pescadores. Por outro lado, os peixes de cultivo (tilápia) quando atingem os tamanhos de comercialização, são direcionados exclusivamente a uma única empresa da região enquanto os peixes menores não são beneficiados. As Prefeituras Municipais apoiam os grupos familiares que desenvolvem produtos alimentícios com a intenção de adquiri-los para a merenda escolar, uma exigência do governo federal, mas é importante que o alimento desenvolvido esteja seguro para o consumo. O projeto fortalece as atividades de extensão da UFRJ através do estímulo ao desenvolvimento social e o contato direto da comunidade acadêmica com a realidade concreta do setor pesqueiro.

O projeto pretende promover o acompanhamento da atividade produtiva da pesca e aquicultura, ampliar a difusão do conhecimento na área de tecnologia do beneficiamento de pescado através de mídias e material didático, promovendo a formação continuada aos membros integrantes (equipe técnica e comunidades de pescadores e aquicultores) de maneira a alavancar os conhecimentos individuais e coletivos, transformando informação em conhecimento e conhecimento em valor; favorecer a segurança alimentar através do melhor aproveitamento do pescado e a produção segura destes, livre dos perigos físicos, químicos ou biológicos.

Resultados

Os materiais didáticos produzidos até o momento (cartilha e vídeo intitulado "Guia para a produção de surimi" e cartilhas sobre a produção de derivados de surimi - quibe e snack) receberam menções honrosas ou prêmio de melhores trabalhos nos Congressos de Extensão da UFRJ nos anos de 2011 à 2017, o que mantém a motivação, empenho e dedicação da equipe de trabalho para continuar a produção da série de cartilhas e vídeos dos produtos que estão em estudo (empanados e pamonha de surimi, conservas de mexilhão, extração de carragenanas e produção de geleias a partir de macroalga). No entanto, a partir de 2018 a equipe imprime esforços para se manter ativa nas mídias sociais (Facebook, Instagram e site NPCTA), por reconhecer que estas ferramentas ampliam a visibilidade das atividades realizadas no projeto.

×

Circula CT

Coordenação: Profa. Dra. Bettina Susanne Hoffmann

O Circula CT nasceu em 2017 como projeto que teve como propósito principal o de trabalhar assuntos de sustentabilidade com os permissionários instalados no campus da UFRJ, que atendem a comunidade universitária em unidades de alimentação ou outros serviços. O foco principal consiste na redução de consumo de itens de uso único e promoção das ideias da economia circular no cotidiano do corpo social da instituição. Um elo importante da atuação do projeto consiste, desde o início, em atividades que visem a informação e conscientização do consumidor. Com a criação do Fórum Ambiental da UFRJ, o trabalho direto com os permissionários foi transferido para o grupo responsável do Fórum, enquanto o Circula CT se concentra, atualmente, no trabalho de comunicação com a comunidade externa tanto através da divulgação em redes sociais quanto da criação de um blog que promova conhecimentos a respeito de como o consumidor pode contribuir com a sustentabilidade e economia circular.

Contato: circulact@eq.ufrj.br

×

Incentivando vocações profissionais na escola de nível médio Olavo Bilac/RJ

Coordenação: Profa. Dra. Yordanka Reyes Cruz

Esta proposta é baseada na realização de atividades científicas/tecnológicas (palestras e exposições) na Escola Estadual de nível médio Olavo Bilac, localizada no bairro de São Cristovão - Rio de Janeiro. As atividades buscam a transmissão de conhecimentos atuais, relacionados à química e inovação tecnológica, especificamente biocombustíveis (biodiesel) e polímeros. Tais temas das palestras e exposições são conduzidos utilizando recursos didáticos e práticos para a compreensão dos discentes do nível médio. A troca de experiência e ampliação dos conhecimentos têm sido positiva mediante a procura da Escola, durante os três anos de realização dessas atividades propostas. Cabe destacar o apoio dado pela direção da Escola à atividade realizada, devido ao interesse dos alunos e professores em ampliar seus conhecimentos na área da Ciência e Inovação.

×

Projeto Integração EQ UFRJ

Coordenação:  Profa. Dra. Fabiana Valéria da Fonseca Araújo

O projeto Integração EQ UFRJ tem como objetivo a complementação da formação teórica dos alunos da Escola de Química através de uma ampla interação entre a sociedade acadêmica e comunidade externa. O projeto se estende por uma semana e abrange uma série de atividades acadêmicas, culturais e esportivas, que visam a integração e troca de saberes entre docentes e discentes da UFRJ, de outras universidades e da comunidade externa com o objetivo de estimular a discussão, sob um viés crítico, a respeito do ensino da Engenharia e da Química Industrial. Três das atividades planejadas possuem o caráter típico de extensão, conforme as diretrizes da Extensão Universitária. São estes:

  1. a organização de oficinas de empreendedorismo para proprietários de pequenos e micronegócios, como pizzarias e lanchonetes localizados na Vila Residencial, Complexo da Maré e demais localidades externos à comunidade acadêmica da UFRJ;
  2. a organização de visitas guiadas de alunos do ensino médio a laboratórios da Escola de Química e outras instalações da Escola Politécnica e COPPE; e
  3. a organização de um debate sobre os caminhos da Universidade Publica, e qual deve ser nosso papel em defesa do caráter público e transformador no Ensino Público Superior no País.

As três atividades visam fortalecer o diálogo entre universidade e comunidade externa, tornando acessível o saber acadêmico ao público externo e abrindo a comunidade acadêmica para a troca de saberes com o público externo.

×

LEMA

A LEMA (Liga de Empreendedorismo e Alimentos) é uma liga universitária formada por estudantes da Escola de Química da UFRJ que viram na área da Engenharia de Alimentos uma grande oportunidade de crescimento profissional, dispostos a ensinar e aprender, na prática, conceitos e técnicas que possam impactar a vida de quem está se aventurando nesse setor.

×

LIEQ

A LIEQ (Liga de Investimentos da EQ) é uma liga acadêmica formada por alunos da Escola de Química, mas que também aceita participação de alunos da Escola Politécnica. Possui como missão o compartilhamento de conhecimento para formação de investidores. A liga organiza eventos, palestras e cursos, além de publicar semanalmente em seu Blog artigos sobre diversos assuntos do mundo dos investimentos.

×

LiDA

A LiDA é uma liga acadêmica formada em 2016 por alunos e alunas da Universidade Federal do Rio de Janeiro que tem como objetivo aproximar o corpo discente ao mercado de trabalho por meio de diversas atividades, tais como visitas técnicas, minicursos computacionais e de ferramentas de mercado de trabalho. Tem vinculação institucional com a Escola de Química, Escola Politécnica e Instituto de Química.

×

Legado Consultoria Jr.

A Legado Consultoria é a empresa júnior da Escola de Química da UFRJ.

"Somos um time de jovens motivados a fazer a diferença em nosso país. Incentivados pelo desejo de mudança, metas desafiadoras e inovação, estamos em busca de crescimento e autodesenvolvimento contínuo. Tendo pensamentos inovadores e sendo autocríticos em nossa formação, humana e profissional, construímos um espírito de equipe plural e coeso, que, somados a nossa pró-atividade e empatia, nos tornam capazes de superar as barreiras do mundo corporativo e construir um verdadeiro legado.

Realizamos isso entregando soluções de excelência nas áreas de bioprocessos, química e alimentos para nossos clientes, e com a ajuda de nossos professores e profissionais do mercado proporcionamos uma experiência empresarial para nossos membros, formando líderes comprometidos e capazes de mudar o Brasil."

   ×

Fluxo Consultoria

A Fluxo Consultoria é uma empresa júnior sem fins lucrativos, que realiza projetos em diversas áreas da Engenharia. A iniciativa abrange todos os cursos da Escola Politécnica, Escola de Química e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, uma das maiores instituições de ensino do país. Todo o trabalho tem a supervisão e validação de professores orientadores da universidade, bem como mentoria de grandes empresas do mercado. Toda receita adquirida com a execução de projetos é revertida na capacitação dos membros da Fluxo por meio de cursos, viagens, eventos empresariais etc. Fundada há 26 anos, a Fluxo entrega projetos de Engenharia com qualidade e muita dedicação dos nossos empresários juniores. Conheça mais da nossa história e carta de serviços.

×

Enactus

"ENtrepreneurial" "ACTion" "US" - Essas são as palavras que dão origem a Enactus e permeiam os valores de todos os seus times ao longo do mundo. A Enactus é uma organização mundial sem fins lucrativos que visa estimular estudantes universitários a mudarem o mundo através da sua capacidade empreendedora e de transformação. A Enactus está presente em mais de 35 países de diferentes continentes e, a partir das suas equipes, empodera pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade com a ajuda de jovens estudantes com valores sociais. Sua missão é incentivar esses jovens, que serão os líderes do futuro, a usarem o seu potencial empreendedor como ferramenta para transformar vidas e melhorar o mundo. Seu lema é: "Acreditamos que investindo em estudantes que aplicam a ação empreendedora e empoderam outras pessoas, criamos um mundo melhor para todos nós."

Na UFRJ, a Enactus foi fundada em 2012 dando origem com o passar do tempo a 6 projetos em diferentes localidades do Rio de Janeiro. Hoje, com 1 projeto finalizado e 5 em andamento a organização conta com membros colaboradores de diferentes graduações da universidade (incluindo alunos de mestrado e outras extensões da graduação) e, com o auxílio de professores e parceiros, atua para empoderar vidas em nossa região por meio de projetos com base sustentável, social e empreendedora.

×