Serviços
Escola de Química da UFRJ
Serviços WebMail Área Restrita

Extensão

Projetos e Eventos
Ligas e Fóruns
Ligas da EQ
EQ Hands-On
Fórum Ambiental da UFRJ

Ligas da Escola de Química

EQ Hands-On

Coordenação: Profa. Dra. Andrea Valdman

A EQ Hands-On é uma organização que surgiu a partir da iniciativa de alunos e professores da Escola de Química/UFRJ. ​Criada em 2015 com o intuito de revitalizar a área industrial da Escola a partir da reforma de equipamentos, há muito tempo parados, hoje a organização conta com mais de 6 projetos concluídos e mais de 30 pessoas envolvidas, entre alunos, professores e técnicos.

Visão

Alcançar excelência no desenvolvimento de projetos e ser referência na UFRJ.

Valores

Mão na massa, Engajamento, Proatividade, Simplicidade, Paixão por desafios, Espírito de equipe.

Fórum Ambiental da UFRJ

Em 2019, foi instalado o Fórum Ambiental (Portaria N° 1174, de 12 de fevereiro de 2019) como espaço regular de discussão, elaboração e suporte ao desenvolvimento e implementação de política institucional de Gestão Ambiental.

O fórum consiste, além do comitê gestor, em seis câmaras temáticas. São estas:

  1. a Câmara de Recursos Ambientais;
  2. a Câmara de Resíduos;
  3. a Câmara de Comunicação e Mobilização Socioambiental;
  4. a Câmara de Educação Socioambiental;
  5. a Câmara de Qualidade de Vida no Ambiente Universitário e
  6. a Câmara de Legislação e Normas.

As Câmaras Temáticas são grupos de participantes regulares reunidos para analisar, propor técnicas, métodos, ferramentas e quaisquer outros dispositivos que contribuam para a melhoria das condições de sustentabilidade da UFRJ, considerando assuntos ou áreas específicas inseridas na Questão Ambiental eleita como Tema de cada Grupo.

Contato: cg.forumambientalufrj@reitoria.ufrj.br

Empresas Júnior
Empresas Júnior da EQ
Empresas Júnior da Poli

Empresas Júnior da Escola de Química

Empresas Júnior da Escola Politécnica

Tutoriais de Registro de Inscrições
Resoluções
Solicitação de inscrição em atividades de extensão

    Como as atividades de extensão nem sempre seguem o ritmo dos períodos do ano letivo, a EQ introduziu a possibilidade de realizar as inscrições em fluxo contínuo. A inscrição na atividade e inserção das horas no BOA exigem os seguintes passos:

    1. Solicitação de inscrição na modalidade de extensão através do formulário https://forms.gle/buZvbmVfLDFdM9MZ6.
    2. Assim que a inscrição na modalidade de extensão aparece no CRID do aluno, ele pode solicitar a inscrição no projeto pretendido.
    3. No final da atividade, o aluno deve solicitar uma declaração ao coordenador da ação (indicando a carga horária cumprida), e encaminhá-la para o e-mail da diretoria adjunta de extensão adext@eq.ufrj.br.

Catalisando a Economia Circular

Coordenação: Profa. Dra. Suzana Borschiver

Este projeto dissemina o conceito de Economia Circular por meio da plataforma digital/blog (http://neitec.com/blog) pertencente ao Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos (NEITEC) da Escola de Química da UFRJ sob coordenação da Profa. Dra. Suzana Borschiver.

A Economia Circular trata de um modelo holístico de sustentabilidade que busca principalmente manter o ciclo de vida útil dos materiais, produtos e seus componentes em sua maior utilidade e valor, eliminando ou minimizando o uso de compostos tóxicos e transformando os resíduos em novos recursos.

O blog, existente desde dezembro de 2017, foi formatado pela equipe do NEITEC para discutir questões relacionadas a Economia Circular. Nesse sentido, se insere como projeto de extensão, viabilizando ao corpo social (professores, alunos e funcionários) da Escola de Química a possibilidade de trabalharem o conceito de Economia Circular. Para isso, o projeto contempla a elaboração de artigos no blog, sugestões, discussões, críticas e organização de workshops e seminários. Os temas abordados em relação à Economia Circular serão sempre correlacionados à Indústria Química e aos seus setores tanto a montante quanto a jusante. Objetiva-se, também, desmistificar e colaborar com a implantação efetiva desse conceito no país, além de sensibilizar e capacitar todos os envolvidos.

Desdobramentos do projeto

Livro de Economia Circular. O livro de Economia Circular está sendo construído baseado nos artigos elaborados pelos integrantes do projeto de extensão e publicados no blog do NEITEC. O conteúdo aborda os conceitos, princípios e os modelos de negócios relacionados ao tema, bem como cases contendo iniciativas já em prática por alguns setores da economia. O livro foca em três modelos de negócios da Economia Circular trabalhados pelo grupo: Logística Reversa, Simbiose Industrial e Chemical Leasing. Como forma de entender o impacto da aplicação das práticas circulares nos setores econômicos, os integrantes trabalharam os efeitos sobre os setores da Biotecnologia, Energia, Moda, Indústria Química e Indústria do Aço. Assim, o livro destina-se a divulgar ao grande público a importância deste modelo de produção para alavancar a competividade econômica do país e incentivar a ampliação das práticas circulares.

Workshop de Economia Circular. O Workshop de Economia Circular foi realizado dia 03 de outubro de 2019 no Polo de Biotecnologia da UFRJ, onde foram apresentados os conceitos, princípios e os modelos de negócios relacionados ao tema e aprofundados os conceitos de Simbiose Industrial, Chemical Leasing e Logística Reversa. O workshop contou com contribuições da professora Suzana Borschiver, das alunas de doutorado Aline Tavares e Fernanda Cardoso e pela integrante externa à UFRJ Renata Bandarra. Ainda foram apresentadas as iniciativas do Instituto SENAI de Inovação por DSc. Victoria Santos e cases de empresas situadas no Parque Tecnológico da UFRJ, sendo elas a Toco Engenharia e Inovação Ambiental Ltda, representada por Cláudio Bastos, a Pólen, representada por Renato Paquet, e Mancha Orgânica, representada por Amosn Costa.

×

Canal para informações sobre indústrias e processamento de alimentos

Coordenação: Prof. Dr. Lauro Luís Martins Medeiros de Melo

O projeto visa ao melhor esclarecimento da população em geral e, mais especificamente de alunos do ensino fundamental 2, sobre práticas aplicadas pelas indústrias de alimentos e características técnicas de seus produtos processados. Com a internet, a difusão de conhecimento e opiniões se tornou mais fácil e democrática. Todavia, nem sempre os textos disponíveis na internet trazem informações tecnicamente corretas e, mesmo assim, podem encontrar grande poder de influência sobre a população, sendo esta influência ainda mais forte entre os mais jovens, incluindo crianças e adolescentes, que têm grande facilidade de interação com a internet.

O desafio é que grande parte da população não tem conhecimento técnico para identificar textos sem fundamento científico, o que traz prejuízos para cidadãos, consumidores, profissionais da área de Ciência e Tecnologia de Alimentos e indústrias. Assim, este projeto buscará textos que apresentem informações técnicas incorretas sobre o processamento de alimentos e serão produzidos "textos-resposta" que serão divulgados em um blog, esclarecendo e corrigindo informações.

Estes textos-resposta serão curtos e de linguagem acessível ao público não especializado, permitindo às pessoas rejeitar ou confirmar "mitos" atualmente difundidos na rede. A produção destes textos-resposta com linguagem não técnica permitirá a disseminação dos conceitos entre alunos de uma escola municipal, difundindo o produto da pesquisa bibliográfica feita pelos estudantes de Engenharia de Alimentos para uma parte da população que ainda não atingiu a Universidade, através de aulas, palestras e atividades interativas, acerca de um assunto que faz parte do cotidiano de todos: indústrias, processamento e características dos alimentos.

×

Tecnologia social para beneficiamento do pescado

Coordenação: Profa. Dra. Ana Lúcia Vendramini

O projeto "Tecnologia Social para o Beneficiamento de Pescado" vem sendo desenvolvido desde 2007 pelo Núcleo de Pesquisa em Ciência e Tecnologia de Alimentos - NPCTA, localizado no Laboratório de Tecnologia de Alimentos da Escola de Química da UFRJ (https://sites.google.com/site/ufrjnpcta/). Suas atividades iniciaram junto as comunidades de pescadores do litoral fluminense, com o apoio do SOLTEC (Núcleo de Solidariedade Técnica CT UFRJ) em parceria com a Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro - FIPERJ, com o apoio financeiro do Ministério da Pesca e Aquicultura MPA, Fundação Universitária José Bonifácio (FUJB/UFRJ) e Programas de Extensão da UFRJ.

Locais de atuação

Incluem desde o município de São João da Barra, passando por Macaé, Cabo Frio e Búzios, até a região metropolitana (Niterói, Mangaratiba e Baia de Sepetiba) e a região da Costa Verde (Ilha Grande, Paraty e Angra dos Reis). Nestes locais foram realizados diversos encontros, oficinas, palestras, cursos de extensão e eventos, promovendo a interdisciplinaridade e a junção entre as comunidades pesqueiras, grupos sociais, escolas de nível médio (curso politécnico) e a comunidade acadêmica universitária, culminando no desenvolvimento de produtos, avaliação e inovação de processos, publicações técnicas, científicas e artísticas, reconhecidas através dos prêmios e menções honrosas recebidas.

Objetivo

O projeto visa contribuir com as Políticas Públicas para a Gestão Compartilhada dos Recursos Pesqueiros e Aquícolas. A Baía da Ilha Grande (BIG) e a região da Costa do Sol são consideradas ecossistemas de alta prioridade para a conservação da biodiversidade. Além disto, nestas regiões existem vários grupos de populações tradicionais (caiçaras, pescadores, indígenas e quilombolas) cujas identidades culturais têm passado por processos de transformação e que contam com apoio de projetos do governo.

Importância

A denominação genérica "PESCADO" compreende os peixes, crustáceos, moluscos, anfíbios, quelônios (tartarugas), mamíferos de água doce ou salgada e algas, usados na alimentação humana (FAO), no entanto, o projeto desenvolve trabalhos especialmente com peixes, crustáceos, moluscos e algas marinhas (macroalgas e microalgas).

Apesar da versatilidade do pescado e do amplo uso da macroalga, as comunidades desconhecem os sistemas de qualidades exigidos no setor de alimentos e as técnicas de beneficiamento, portanto, poucos processam estas matérias-primas, não viabilizando o uso na merenda escolar e na agricultura local. Para tanto, é importante ampliar o conhecimento existente e documentá-lo. Informação, conhecimento, criatividade e inovação são ingredientes básicos para todas as organizações, mas estes devem ser adequadamente mapeados e compartilhados com os diferentes grupos, respeitando a cultura local, portanto aplicados na busca por um modelo diferenciado de desenvolvimento, de economia, de inclusão social e melhoria da qualidade de vida das populações locais, além da valorização do patrimônio cultural desses grupos. Grande parte do pescado desembarcado na região é comercializado assim que chega à areia, pelos próprios pescadores. Por outro lado, os peixes de cultivo (tilápia) quando atingem os tamanhos de comercialização, são direcionados exclusivamente a uma única empresa da região enquanto os peixes menores não são beneficiados. As Prefeituras Municipais apoiam os grupos familiares que desenvolvem produtos alimentícios com a intenção de adquiri-los para a merenda escolar, uma exigência do governo federal, mas é importante que o alimento desenvolvido esteja seguro para o consumo. O projeto fortalece as atividades de extensão da UFRJ através do estímulo ao desenvolvimento social e o contato direto da comunidade acadêmica com a realidade concreta do setor pesqueiro.

O projeto pretende promover o acompanhamento da atividade produtiva da pesca e aquicultura, ampliar a difusão do conhecimento na área de tecnologia do beneficiamento de pescado através de mídias e material didático, promovendo a formação continuada aos membros integrantes (equipe técnica e comunidades de pescadores e aquicultores) de maneira a alavancar os conhecimentos individuais e coletivos, transformando informação em conhecimento e conhecimento em valor; favorecer a segurança alimentar através do melhor aproveitamento do pescado e a produção segura destes, livre dos perigos físicos, químicos ou biológicos.

Resultados

Os materiais didáticos produzidos até o momento (cartilha e vídeo intitulado "Guia para a produção de surimi" e cartilhas sobre a produção de derivados de surimi - quibe e snack) receberam menções honrosas ou prêmio de melhores trabalhos nos Congressos de Extensão da UFRJ nos anos de 2011 à 2017, o que mantém a motivação, empenho e dedicação da equipe de trabalho para continuar a produção da série de cartilhas e vídeos dos produtos que estão em estudo (empanados e pamonha de surimi, conservas de mexilhão, extração de carragenanas e produção de geleias a partir de macroalga). No entanto, a partir de 2018 a equipe imprime esforços para se manter ativa nas mídias sociais (Facebook, Instagram e site NPCTA), por reconhecer que estas ferramentas ampliam a visibilidade das atividades realizadas no projeto.

×

Circula CT

Coordenação: Profa. Dra. Bettina Susanne Hoffmann

O Circula CT nasceu em 2017 como projeto que teve como propósito principal o de trabalhar assuntos de sustentabilidade com os permissionários instalados no campus da UFRJ, que atendem a comunidade universitária em unidades de alimentação ou outros serviços. O foco principal consiste na redução de consumo de itens de uso único e promoção das ideias da economia circular no cotidiano do corpo social da instituição. Um elo importante da atuação do projeto consiste, desde o início, em atividades que visem a informação e conscientização do consumidor. Com a criação do Fórum Ambiental da UFRJ, o trabalho direto com os permissionários foi transferido para o grupo responsável do Fórum, enquanto o Circula CT se concentra, atualmente, no trabalho de comunicação com a comunidade externa tanto através da divulgação em redes sociais quanto da criação de um blog que promova conhecimentos a respeito de como o consumidor pode contribuir com a sustentabilidade e economia circular.

Contato: circulact@eq.ufrj.br

×

Incentivando vocações profissionais na escola de nível médio Olavo Bilac/RJ

Coordenação: Profa. Dra. Yordanka Reyes Cruz

Esta proposta é baseada na realização de atividades científicas/tecnológicas (palestras e exposições) na Escola Estadual de nível médio Olavo Bilac, localizada no bairro de São Cristovão - Rio de Janeiro. As atividades buscam a transmissão de conhecimentos atuais, relacionados à química e inovação tecnológica, especificamente biocombustíveis (biodiesel) e polímeros. Tais temas das palestras e exposições são conduzidos utilizando recursos didáticos e práticos para a compreensão dos discentes do nível médio. A troca de experiência e ampliação dos conhecimentos têm sido positiva mediante a procura da Escola, durante os três anos de realização dessas atividades propostas. Cabe destacar o apoio dado pela direção da Escola à atividade realizada, devido ao interesse dos alunos e professores em ampliar seus conhecimentos na área da Ciência e Inovação.

×

Projeto Integração EQ UFRJ

Coordenação:  Profa. Dra. Fabiana Valéria da Fonseca Araújo

O projeto Integração EQ UFRJ tem como objetivo a complementação da formação teórica dos alunos da Escola de Química através de uma ampla interação entre a sociedade acadêmica e comunidade externa. O projeto se estende por uma semana e abrange uma série de atividades acadêmicas, culturais e esportivas, que visam a integração e troca de saberes entre docentes e discentes da UFRJ, de outras universidades e da comunidade externa com o objetivo de estimular a discussão, sob um viés crítico, a respeito do ensino da Engenharia e da Química Industrial. Três das atividades planejadas possuem o caráter típico de extensão, conforme as diretrizes da Extensão Universitária. São estes:

  1. a organização de oficinas de empreendedorismo para proprietários de pequenos e micronegócios, como pizzarias e lanchonetes localizados na Vila Residencial, Complexo da Maré e demais localidades externos à comunidade acadêmica da UFRJ;
  2. a organização de visitas guiadas de alunos do ensino médio a laboratórios da Escola de Química e outras instalações da Escola Politécnica e COPPE; e
  3. a organização de um debate sobre os caminhos da Universidade Publica, e qual deve ser nosso papel em defesa do caráter público e transformador no Ensino Público Superior no País.

As três atividades visam fortalecer o diálogo entre universidade e comunidade externa, tornando acessível o saber acadêmico ao público externo e abrindo a comunidade acadêmica para a troca de saberes com o público externo.

×

LEMA

A LEMA (Liga de Empreendedorismo e Alimentos) é uma liga universitária formada por estudantes da Escola de Química da UFRJ que viram na área da Engenharia de Alimentos uma grande oportunidade de crescimento profissional, dispostos a ensinar e aprender, na prática, conceitos e técnicas que possam impactar a vida de quem está se aventurando nesse setor.

×

LIEQ

A LIEQ (Liga de Investimentos da EQ) é uma liga acadêmica formada por alunos da Escola de Química, mas que também aceita participação de alunos da Escola Politécnica. Possui como missão o compartilhamento de conhecimento para formação de investidores. A liga organiza eventos, palestras e cursos, além de publicar semanalmente em seu Blog artigos sobre diversos assuntos do mundo dos investimentos.

×

LiDA

A LiDA é uma liga acadêmica formada em 2016 por alunos e alunas da Universidade Federal do Rio de Janeiro que tem como objetivo aproximar o corpo discente ao mercado de trabalho por meio de diversas atividades, tais como visitas técnicas, minicursos computacionais e de ferramentas de mercado de trabalho. Tem vinculação institucional com a Escola de Química, Escola Politécnica e Instituto de Química.

×

Legado Consultoria Jr.

A Legado Consultoria é a empresa júnior da Escola de Química da UFRJ.

"Somos um time de jovens motivados a fazer a diferença em nosso país. Incentivados pelo desejo de mudança, metas desafiadoras e inovação, estamos em busca de crescimento e autodesenvolvimento contínuo. Tendo pensamentos inovadores e sendo autocríticos em nossa formação, humana e profissional, construímos um espírito de equipe plural e coeso, que, somados a nossa pró-atividade e empatia, nos tornam capazes de superar as barreiras do mundo corporativo e construir um verdadeiro legado.

Realizamos isso entregando soluções de excelência nas áreas de bioprocessos, química e alimentos para nossos clientes, e com a ajuda de nossos professores e profissionais do mercado proporcionamos uma experiência empresarial para nossos membros, formando líderes comprometidos e capazes de mudar o Brasil."

   ×

Fluxo Consultoria

A Fluxo Consultoria é uma empresa júnior sem fins lucrativos, que realiza projetos em diversas áreas da Engenharia. A iniciativa abrange todos os cursos da Escola Politécnica, Escola de Química e Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ, uma das maiores instituições de ensino do país. Todo o trabalho tem a supervisão e validação de professores orientadores da universidade, bem como mentoria de grandes empresas do mercado. Toda receita adquirida com a execução de projetos é revertida na capacitação dos membros da Fluxo por meio de cursos, viagens, eventos empresariais etc. Fundada há 26 anos, a Fluxo entrega projetos de Engenharia com qualidade e muita dedicação dos nossos empresários juniores. Conheça mais da nossa história e carta de serviços.

×

Enactus

"ENtrepreneurial" "ACTion" "US" - Essas são as palavras que dão origem a Enactus e permeiam os valores de todos os seus times ao longo do mundo. A Enactus é uma organização mundial sem fins lucrativos que visa estimular estudantes universitários a mudarem o mundo através da sua capacidade empreendedora e de transformação. A Enactus está presente em mais de 35 países de diferentes continentes e, a partir das suas equipes, empodera pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade com a ajuda de jovens estudantes com valores sociais. Sua missão é incentivar esses jovens, que serão os líderes do futuro, a usarem o seu potencial empreendedor como ferramenta para transformar vidas e melhorar o mundo. Seu lema é: "Acreditamos que investindo em estudantes que aplicam a ação empreendedora e empoderam outras pessoas, criamos um mundo melhor para todos nós."

Na UFRJ, a Enactus foi fundada em 2012 dando origem com o passar do tempo a 6 projetos em diferentes localidades do Rio de Janeiro. Hoje, com 1 projeto finalizado e 5 em andamento a organização conta com membros colaboradores de diferentes graduações da universidade (incluindo alunos de mestrado e outras extensões da graduação) e, com o auxílio de professores e parceiros, atua para empoderar vidas em nossa região por meio de projetos com base sustentável, social e empreendedora.

×