Serviços
Escola de Química da UFRJ
Serviços WebMail Área Restrita

Homenagens e Memória

Homenagens
Memória
Homenagem da RQI-757 ao Prof. Carlos Augusto Guimarães Perlingeiro

Prof. Carlos Augusto Guimarães Perlingeiro

Nascido em Castro, município localizado no Estado do Paraná, em 1938, veio ainda jovem para o Rio de Janeiro, onde concluiu seus estudos científicos (atual ensino médio) no Colégio Santo Agostinho, localizado no Leblon, bairro da zona sul da cidade.

Após passar no concorrido vestibular de acesso à Escola Nacional de Química da Universidade do Brasil (atual Escola de Química da UFRJ) em 1957, diplomou-se em Química Industrial (1961) e no ano seguinte em Engenharia Química. Nessa época, atuou como monitor na disciplina Aparelhos e Operações Industriais, ministrada pelo Prof. Alberto Luis Galvão Coimbra, ocasião em que este organizava um mestrado em engenharia química nos moldes norte-americanos para formar professores de dedicação exclusiva (eram todos de tempo parcial) e engenheiros criativos para a indústria. Aprovado em concurso para a Petrobras, declinou em prol do curso de mestrado em engenharia química. Segundo o próprio Perlingeiro, "Aqui começava a minha carreira de Professor. E eu não sabia...".

Logo depois, ele participou do seminário "Use of Computers in Engineering Education", promovido pela National Science Foundation. Seu objetivo: incentivar o uso de computação no ensino de engenharia. Perlingeiro percebeu que precisava incentivar o uso dessa ferramenta nova no meio acadêmico àquela época. Com o apoio do Prof. Coimbra, foi aos Estados Unidos (Universidade de Houston, Texas) onde fez um curso de computação por dois meses, em meio a um grupo de 50 professores de universidades norte-americanas e estrangeiras.

De volta ao Rio de Janeiro, Perlingeiro iniciou o seu mestrado em Engenharia Química em 1963, na então Divisão de Engenharia Química do Instituto de Química da Universidade do Brasil.

A dissertação "Configuração do Escoamento Axissimétrico por Computador Digital", a primeira computacional da UFRJ, foi defendida em 1964. Junto à Direção da então Escola Nacional de Química, foi, talvez, o pioneiro no país a introduzir a computação como disciplina obrigatória no currículo de Engenharia Química. Não havendo literatura disponível em português, foi o autor de "Introdução à Comunicação com Computadores Digitais", o primeiro texto estruturado em nossa língua sobre programação para computadores.

De 1965 a 1968, Perlingeiro fez seu doutoramento (PhD) no Stevens Institute of Technology (EUA). Retornando do doutorado, dividia seu tempo entra a já Escola de Química da UFRJ e a Coppe. A área de planejamento de processos lhe atraiu a atenção por ser algo inovador no âmbito do ensino de engenharia química no país; sua experiência neste campo lhe permitiu organizar disciplinas de graduação (Escola de Química) e de pós-graduação (Programa de Engenharia Química da Coppe - PEQ/Coppe), e redigir a obra "Engenharia de Processos - Análise, Simulação, Otimização e Síntese de Processos Químicos" (Editora Edgard Blücher, 2005). Foi ainda editor do livro "Biocombustíveis no Brasil, Fundamentos, Perspectivas e Aplicações" (Synergia, 2014).

Na Escola de Química da UFRJ, ministrou disciplinas para mais de 2.900 alunos de graduação. Na Coppe, orientou 37 dissertações de mestrado e duas de doutorado.

Dentre os vários cargos que assumiu ao longo de sua carreira acadêmica, foi Coordenador do PEQ/Coppe (1969-1974 e 1995-1996), Diretor Adjunto (1971-1974) e Diretor da Escola de Quimica (1998-2001). Foi agraciado com o título de Professor Emérito da UFRJ em 1997. O laboratório do "Grupo de Integração de Processos Químicos" (GIPQ, http://www.gipq.com.br), leva o seu nome. Nos ultimos anos, atuava como professor colaborador voluntário (graduação e pós-graduaçãoe commo professor visitante do Programa de Recursos Humanos PRH-ANP/MCTI (PRH-13), sempre na Escola de Química.

Fora da rotina acadêmica, Perlingeiro se dedicava com regularidade à prática esportiva (futebol e vôlei). Seu estilo diplomático e elegante de se relacionar com as pessoa era uma marca inconfundível de sua persolidade. Sua atuação acadêmica revela um espírito de cooporeração innstitucional.

Carlos Augusto Guimarães Perlingeiro faleceu no dia 26 de outubro do corrente, deixando um legado de dedicação e um exemplo de trajetória profissional para todos nós.

Fonte: RQI - 757 - Pioneiros da Química

  • Moção de Pesar: Prof. Benjamin Valdman

    Com profundo pesar e tristeza a Congregação da Escola de Química lamenta o falecimento do Prof. Benjamin Valdman, professor aposentado e diretor de nossa Unidade no período de 1986 a 1989.

    A Comunidade da Escola de Química externa os mais sinceros pêsames à família neste momento tão difícil. Não existe partida para aqueles que permanecerão eternamente em nossos corações, e com certeza o Prof. Benjamin está no coração de muitos que tiveram a oportunidade de conviver com ele.

  • Moção de Pesar: Prof. Perlingeiro

    Perlingeiro Com profundo pesar e tristeza que a congregação da Escola de Química, reunida em 10 de novembro de 2017, lamenta o falecimento do Prof. Carlos Augusto Guimarães Perlingeiro no dia 26 de outubro.

    Leia mais

Moção de Pesar

PerlingeiroCom profundo pesar e tristeza que a congregação da Escola de Química, reunida em 10 de novembro de 2017, lamenta o falecimento do Prof. Carlos Augusto Guimarães Perlingeiro no dia 26 de outubro. O Prof. Perlingeiro sempre atuou no ensino de graduação em nossa Escola, introduziu o ensino de computação em nossa Escola, assim como, também de forma pioneira, o oferecimento da disciplina Engenharia de Processos, para a qual redigiu um livro texto muito utilizado em nosso país. Era professor emérito da UFRJ, foi diretor de nossa Unidade no período 1998 a 2001 e acompanhou o início das atividades do Programa de Engenharia Química da COPPE, onde também atuou por um longo período.

A Escola de Química externa os mais sinceros pêsames a família neste momento tão difícil. Que as melhores lembranças de sua presença perpetuem em nossos corações e na memória de todos que tiveram a oportunidade de conhecê-lo e conviver com ele.

×

Prof. Perlingeiro

Perlingeiro

Que as melhores lembranças de sua presença perpetuem em nossos corações e na memória de todos que tiveram a oportunidade de conhecê-lo e conviver com ele.

×